sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007

Por haver tantas situações por onde começar esta minha intervenção, tenho alguma dificuldade pela qual começar, optei por esta. Já vi que as minhas insistentes intervenções estão a incomodar alguns eleitos desta assembleia. Eu já disse aqui nestas Assembleias que não é de minha vontade fazer estas intervenções.
Aos eleitos desta Assembleia, mais incomodados deixo aqui a minha disponibilidade, contactem-me para reuniões de esclarecimento onde poderão ficar com uma ideia mais formada e participarem na ajuda da resolução do Pinhal do General.
Reuni com o Sr. Presidente da Câmara, com a Srª Presidente da Assembleia Municipal, Com a Srª jurista ao serviço da Câmara Municipal de Sesimbra e com o Sr. Victor Antunes.
Em 29 de Setembro, entreguei à Srª Presidente da Assembleia Municipal Dtª Odete Graça um documento dizendo-lhe que o ia ler na minha intervenção, quando chegou o período de intervenção dos munícipes pediu-me se podia dispensar a leitura que se comprometia a marcar uma reunião comigo e com o Sr. Presidente da Câmara. O que veio a acontecer em 15 de Novembro de 2007 pelas 19 horas até ás 21 horas. Nessa reunião falou-se muito no ponto que diz respeito à delimitação da AUGI, de quando a Lei saiu e as alterações introduzidas no que consta no nº 4 e 5 do Artigo 1º na qual estivemos sempre em desacordo, aliás como sempre estivemos.
Todos os elementos da reunião estiveram sempre de acordo com as competências da comissão de administração (Artigo 15º ) para pedir as tais certidões à Câmara, onde eu contrapus dizendo que as competências da comissão são no ceio da Administração conjunta, embora seja o presidente da AUGI a requerer à Câmara na qualidade de Presidente da Administração Conjunta apresentando como justificação a acta da Assembleia de comproprietários com a menção qual o critério adoptado e a identificação dos comproprietários que requerem tais certidões assegurando assim por parte do Sr. Presidente da Câmara o bom funcionamento da instituição da AUGI e outras em que a Câmara tenha intervenção directa ou indirecta.
Nos documentos que estão disponíveis na Câmara Municipal, consta que o processo de reconversão foi por iniciativa da Câmara Municipal com o apoio da Administração conjunta. Os órgãos que compõem a Administração conjunta são…
a. Assembleia de comproprietários ou comproprietários.
b. Comissão de Administração.
c. Comissão de fiscalização.
Qualquer Presidente de Câmara deste país que se preze deve cumprir e fazer cumprir as instituições democráticas num país de direito.
Os comproprietários estão completamente atados de pés e mãos e com uma venda nos olhos, tanto por parte da Câmara como por parte do Sr. Fernando Serpa.
Esta concertação que foi feita em 1996 e que teima em continuar, mais tarde ou mais cedo vai ter que ser desfeita.
A planta da Quinta do Conde toda, incluindo o Pinhal do General, não identifica o prédio ou prédios para que qualquer comproprietário mesmo com prejuízo da apresentação das contas intercalares, tome uma iniciativa de convocar a reunião da Assembleia de comproprietários.
O Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, continua a não ter coragem de exigir as contas intercalares como é do seu dever, aliás como está expresso em documento que me enviou. Por outro lado continua a propor em reunião de Câmara para que seja aprovado o deferimento das tão faladas certidões, sem que haja qualquer proposta contraria dos vereadores.
Estou de acordo com o que um jornalista escreveu no inicio de Novembro no seu jornal “Casamento ou união de factos”, porque se realmente o Sr. Presidente da Câmara estivesse a proceder em conformidade com a Lei no que diz respeito ao Pinhal do General e que eu tantas vezes já pus esta questão e nunca houve nenhum variador que questionasse o Sr. Presidente, tanto nas Assembleias Municipais como nas reuniões de Câmara onde é proposto a deliberação da emissão das tão anunciadas certidões que se quisessem fazer alguma coisa pela população que lhes confiou o voto já o poderiam ter feito, pondo em conta as muitas intervenções aqui feitas por mim, na qual há muito por onde questionar.
Exmºs. Srs. Presidentes da Câmara Municipal e Assembleia Municipal, no documento de 29 de Setembro passado, quando escrevo “chega de me mandar terra para os olhos ou de me esconder o sol com a peneira ou porque tenho um escudo invisível de grande potência que nada me consegue cegar e que a jurisdição da Câmara está a prestar um péssimo serviço aos munícipes e que deve ser substituído”, estou bem ciente do que estou a afirmar, assim como em todo o documento.
A Srª. Jurista disse na reunião que em 1996 era de uma forma e agora é de outra. as alterações foram introduzidas na mesma Lei. Se a considerada Comissão (que não o é) quiser reunir a Assembleia-geral ou qualquer comproprietário, não é possível, porque não há por parte da Câmara qualquer documento credível para esse acto.
A confirmar-se que no Pinhal do General não é possível suportar uma Administração Conjunta, o processo de reconversão terá que seguir o mesmo processo do resto da Quinta do Conde.
Exms. Srs. Presidentes da Câmara Municipal e Assembleia Municipal. Qualquer pessoa erra. O errar é humano, ninguém é infalível, reconhecer o erro é que nem toda a gente faz. Admito que a mesma força politica que está actualmente na gestão da Câmara Municipal tenha errado na delimitação da AUGI em 1996, o que não admito nem posso admitir é que o Sr. Presidente da Câmara Municipal, tendo sido questionado por mim das mais variadíssimas formas durante os últimos dois anos, dando-lhe o pleno beneficio da dúvida para que reconhece-se o erro em que a Câmara está mergulhada. Por isso agi de forma como o documento de 29 de Setembro comenta.
Se o Sr. Presidente da Câmara Municipal, está ciente do documento que me enviou datado de 30 de Março de 2007 correspondência com a Assembleia Municipal, em que me diz: “A substituição da Comissão de Administração é possível em Assembleia de Comproprietários”. Como é do dever da Câmara Municipal, ao abrigo do nº 5 do Artigo 9º da Lei das AUGI, deve informar como reunir a Assembleia de proprietários ou comproprietários.
Exms. Srs. Presidentes da Câmara e Assembleia Municipal, parece-me não terem ficado com dúvidas da conclusão da reunião do passado dia 15, de que não existe documento credível na Câmara, para que seja possível reunir a Assembleia-geral de comproprietários.
Supúnhamos que o Sr. Serpa, por qualquer motivo deixava o poder que ocupa com o consentimento do Sr. Presidente, como é que se dava continuidade ao processo?
Pretendo que esta minha pergunta tenha uma resposta por escrito.
Estou disponível para reunirmos mais vezes para ajudar na resolução do problema do Pinhal do General.

19 comentários:

Anónimo disse...

É lamentável que o escriba do blog Magra Carta tenha passado a filtrar os comentários que não lhe convêm, mesmo sem serem ofensivos.
É lamentável que o próprio tenha passado a ofender, embora com as suas palavras de filósofo, tudo e todos os que não se revejam nas suas mágoas e pretensões.
Como resposta deixarei de comentar qualquer texto escrito pelo mesmo e proponho a todos os leitores habituais de blogs que façam o mesmo.

Anónimo disse...

Não desista amigo....
Temos aqui o lápis azul de volta, que tanto mal fez em tempos idos. Mas, que alguns ainda utilizam.....
Que democracia é esta? A deles claro!!!!

Anónimo disse...

Viva a Quinta do Conde livre de Sesimbra!

Anónimo disse...

Quinta do Conde sem Sesimbra é outra vertente. Enquanto houver compadrios de Vitor Antunes, Serpas, isto nunca mais vai lá. O Sr. Arlindo Funina tem sido um lutador e congratulo-me consigo. Força amigo.

Anónimo disse...

Para o sr de 14 de Março de 2008 20:32

Enquanto houver pessoas como o Sr Vitor Antunes a quinta do conde vai longe e sabe pq? Pq ele é uma das pessoas que farta-se de trabalhar pela vila e dá a cara. Não é como certas pessoas que só sabem falar mal daquilo que os outros fazem de bom pela vila

Anónimo disse...

Pois é....pois é, esse Vitor tem que deixar de mentir.
Ele é um aproveitador e .....
Tenham ambos vergonha na cara.
O sr. Arlindo põe tudo a nu. Força!
Sabe dizer qual a diferença entre o Vitor e o Serpa?

LUISA disse...

Claro que sei.É que o senhor vitor não é mentiroso como este anónimo 7 de Abril de 2008 18:05.
Sabe qual é o seu mal??? É dor de cotovelo. Como o seu partido nada fez , aliás só fez mer.... Agora quem tem que limpar essa mer... é os que estão no poder e digo que estão a trabalhar muito bem. Que venham mais Srs Vitor Antunes , É desses que precisamos para acabar com a porcaria que os antigos PS fizeram. Em vez de estar aqui a falar em porcaria o senhor devia fazer algo de util e ajudar quem trabalha . PONTO FINAL

Anónimo disse...

Ah Grande Luisa...Assim é que é....Esta gente não têm vergonha de falar de vidas alheias. Não têm mais nada para fazer. Vão mas é trabalhar.....metam a inveja de lado.....INVEJOSOS.

Anónimo disse...

É impressionante como se defende gente com o rabo preso. Está tudo claro e posto na mesa... poruqe não se defendem, não contestam??? é preciso as mulheres os defenderem?? Tristeza... Esta Sra. Luísa em vez de acreditar no que lhe dizem...estude... leia... verifique e conteste objectivamente.Dizer mal por dizer não interessa, dizer que o Sr. Vitor Antunes e Fernando Serpa são umas joias de criaturas.... também não serve. Diga o que fizeram bem e responda ao que fizeram mal, já que lhes toma as dores. Neste blog o Sr. Funina, é bem objectivo.

Anónimo disse...

Inveja???? De quê?
Do tão falado trabalho ARDUO do Sr Victor Antunes???? hahahahaha
Deixem-se de politiquices, fala-se aqui de um problema para resolver.
Resolvam-no.

Manuel disse...

Luisa responde às criticas do Sr. Funina.
Já leu os artigos publicados neste blog e em jornais? Agradecia que explicasse as denúncias sobre a camara e Fernando Serpa.
Como não vivo na Quinta do Conde gostava de saber quem tem razão.
Obrigado.

Anónimo disse...

O Manel não vive na Quinta do Conde ?

manuel disse...

Não, tenho família que vive no Pinhal do General. Por isso sei muito bem o que o Serpa e a câmara têm feito. E, fico por aqui ....

Anónimo disse...

Pois é Manuel, somos todos uma grande família, só que uns são filhos e outros enteados e ainda há os que são uns grandes filhos de mãe,uma espécie de ovelhas ranhosas, tão mentirosas, tão vergonhosas que inventam blogs para inventar a vida dos outros.
Para que se compreenda:
Inventar = Caluniar !

A calunia é mais vil das mentiras. É a mentira preferida daqueles que não têm, NÃO TÊM coragem para dizer as pertensas verdades na cara dos visados.

Anónimo disse...

É impressionante como o Sr.Funina é elevado por alguns blogueiros à qualidade de santo padroeiro do Pinhal do General.

Já lhe erguerem uma estátua ?

Ainda não?

Ah! Então continuem... Força Funina! Força Funina! Força Funina!

Anónimo disse...

Esta das "calunias=mentiras" é gira!
Ainda não vi ninguém a responder directamente às questões levantadas aqui neste blog.
Também ainda não vi nenhum dos Srs. sitados também neste blog, se sentir ofendido pelo o que aqui se diz, claramente.
Quem cala consente.
Se realmente fosse a tal mentira caluniosa, já tinham vindo para a ribalta defender-se. Mas não....

Anónimo disse...

Ao anónimo de 11 de Abril, às 18h25: O seu estilo de escrita, não engana ninguém Sr.Vitor Antunes. Faltam-lhe argumentos e incentiva o Arlindo Funina de forma sarcástica. Olhe que o Zé da Cal, ainda tem cópia do cheque que lhe deu para lhe aprovar a tasca.

Anónimo disse...

O anónimo das 18.15, vive obcecado pelo Victor Antunes ????

Quem escreveu o comentário fui eu!Ou seja, alguém, anónimo, por opção, e para não destuar dos restantes comentaristas.
Alguém que leu num Jornal da imprensa local uma espécie de convite a visitar este Blog como fonte de mais informação e afinal o que encontrou foi conversa, conversa, conversa... e da piorzinha que há!

Tchau e até nunca mais!!!

Anónimo disse...

Pois Sr. anónimo último...se não sabe mais e se o tema não lhe interessa, mais vale ser até nunca mais. Visite outros blog's com outros temas.
Percebemos que apenas assume as dores do Sr. Victor Antures e não percebe nada do que lê.